Ministério da Saúde  
Informações de Saúde MS/SE/Datasus

PCE - PROGRAMA DE CONTROLE DA ESQUISTOSSOMOSE

Nota Técnica

Observações

Origem e situação dos dados

Descrição das variáveis disponíveis para tabulação

Outras formas de obtenção de dados


Observações

A ação de controle da esquistossomose baseia-se em dados históricos do Programa de Controle do Programa da Esquistossomose (PCE) e suas atividades de vigilância epidemiológica nas áreas, onde sabidamente ocorre a doença. A interpretação dos dados deve ser feita levando-se em conta, os dados registrados pelo programa.

Para os anos de 1996 e 1997, período de implantação do processo de informatização do PCE, parte dos dados, ainda foram registrados manualmente.

O Estado da Bahia,no período de 2000 a 2004, optou pelo registro de dados de forma resumida. Alguns dados, como carga parasitária, não estão disponíveis nesse período. Também, foram observadas divergências nos registros sobre o número de pessoas examinadas e positivas; pessoas a serem tratadas e tratadas e não tratadas em alguns municípios, o que foi providenciada as devidas correções.

O Estado de São Paulo, possui sistema informatizado próprio, que está sendo ajustado ao sistema PCE do Ministério da Saúde, motivo pelo qual, não é possível a obtenção de alguns dados, visto que, o Estado, também, registra casos de diversas fontes de informação. Estão sendo realizados ajustes necessários para uniformizar os registros.

Os dados somente serão considerados definitivos, quando as esferas estadual e municipal de saúde informarem que os registros dos dados foram concluídos.

No Estado de Rondônia, a informatização do programa teve início a partir de 2004.

As bases de dados serão atualizadas trimestralmente.

Voltar ao início


Origem dos dados

Os dados referem-se às atividades do Programa de Controle da Esquistossomose (PCE), que consiste na busca ativa de casos e mapeamento dos hospedeiros intermediários Biomphalaria (glabrata, straminea e tenagophila) cuja informatização teve início em 1995 e a implantação a partir do segundo semestre de 1995, envolvendo todos os estados da região Nordeste e Sudeste, além dos Estados do PR, SC, PA, RO, GO e DF. O Estado do Rio Grande do Sul iniciou as atividades do PCE, a partir de 2001, com as atividades em um foco de esquistossomose no Município de Esteio

Para os anos de 1996 e 1997, período de transição para o processo informatizado, parte dos dados ainda foram registrados manualmente.

SITUAÇÃO DOS DADOS

Estado

1996

1997

1998

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

2006

2007

2008

2009

AL

sem dados

concluído

concluído

concluído

concluído

concluído

concluído

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

BA

sem dados

sem dados

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

CE

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

sem dados

DF

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

sem dados

sem dados

sem dados

ES

sem dados

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

GO

sem dados

parcial

parcial

parcial

sem dados

sem dados

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

sem dados

sem dados

sem dados

MA

parcial

concluído

concluído

concluído

concluído

concluído

concluído

concluído

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

MG

parcial

concluído

concluído

concluído

concluído

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

PA

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

sem dados

sem dados

PB

parcial

concluído

concluído

concluído

concluído

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

PE

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

PI

sem dados

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

sem dados

PR

sem dados

concluído

concluído

concluído

concluído

concluído

concluído

concluído

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

RJ

parcial

parcial

sem dados

parcial

sem dados

sem dados

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

RN

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

RO

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

sem dados

RS

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

SC

sem dados

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

sem dados

SE

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

sem dados

SP

sem dados

parcial

parcial

parcial

parcial

parcial

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados

sem dados - não possui dados informados pelo SISPCE    

parcial - existem formulários de campo pendentes para serem digitados no SISPCE    

concluído - todos os formulários já foram digitados e os dados conferidos. 

Voltar ao início


Descrição das variáveis disponíveis para tabulação

Município

Dados agrupados por município.

Ano

Dados agrupados por ano de execução da atividade de controle.

Mês/Ano (competência)

Dados agrupados por mês e o ano em que a atividade de controle foi executada, calculados pelo sistema com base na data da realização da coproscopia ou inspeção malacológica. 

Mês

Dados agrupados por mês em que a atividade foi executada, lembrando que para esta tabulação deve-se particularizar o ano.

UF 

Dados agrupados por unidade da federação (Estado) onde foi executada a atividade do programa.

REGUF

Dados agrupados por região e unidade da federação (Estado) onde foi executada a atividade do programa.

Regional

Dados agrupados por regionais de saúde da Secretaria Estadual de Saúde.

Exames

Número de pessoas examinadas (coproscopia).

A tratar

Número de pessoas previstas para serem medicadas contra a esquistossomose. Não significa que todos são positivos.

Tratados

Número de pessoas tratadas contra a esquistossomose. 

Positivos

Número de pessoas cujos exames foram identificados com ovos de Schistosoma mansoni.  

%_Positividade

Quociente entre o total de positivos e o total da população examinada, multiplicado por 100

Pop. Trab. - população trabalhada

Número de pessoas que receberam o recipiente para coleta do material para exame.

1 a 4 ovos

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou entre 1 a 4 ovos. 

5 a 16 ovos

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou entre 5 a 16 ovos. 

17 mais ovos

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou 17 ovos ou mais. 

Asc - Ascaris

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou ovos de Ascaris lumbricoides. 

Anc - Ancylostoma

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou ovos de Ancilostomo duodenale . 

TAE - Taenia

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou ovos de Taenia. 

TT - Trichocephalus trichiura

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou ovos de Trichocephalus trichiura

EV - Enterobius vermicularis

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou ovos de Enterobius vermicularis.

SS - Strongyloides stercoralis

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou ovos de Strongyloides.

HN - Hymenolepis nana

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou ovos de Hymenolepis nana.

OUT - outras verminoses

Número de pessoas cujo exame da lâmina identificou ovos de outras verminoses.

Contra Ind. - contra-indicação

Número de pessoas não tratadas por contra-indicação.

Recusa

Número de pessoas não tratadas por recusa.

Ausência

Número de pessoas não tratadas por ausência.

Caramujo Cap.

Número de caramujos capturados na atividade de malacologia.

B. Gla. cap. - Biomphalaria glabrata capturado

Quantidade de caramujos capturados da espécie Biomphalaria glabrata.

B. Str. cap. - Biomphalaria straminea capturado

Quantidade de caramujos capturados da espécie Biomphalaria straminea.

B. Ten. cap. - Biomphalaria tenagophila capturado

Quantidade de caramujos capturados da espécie Biomphalaria tenagophila.

B. Gla. posit. - Biomphalaria glabrata positivo

Quantidade de caramujos positivos da espécie Biomphalaria glabrata.

B. Str. posit. - Biomphalaria straminea positivo

Quantidade de caramujos positivos da espécie Biomphalaria straminea.

B. Ten. posit. - Biomphalaria tenagophila positivo

Quantidade de caramujos positivos da espécie Biomphalaria tenagophila.

Voltar ao início


Outras formas de obtenção de informações

Gerência Técnica da esquistossomose (GT Esquistossomose)

Coordenador: Dr. Ronaldo Santos do Amaral
Telefone: (61) 3213 – 8133   FAX: 61- 3213-8129
E-mail: ronaldo.amaral@saude.gov.br

Voltar ao início